Seja seguro de si mesmo
3 de Fevereiro de 2017
O gestor humanizado e a realidade das relações corporativas
7 de Fevereiro de 2017

Viver sem medo, pular de olhos fechados.

Se ficarmos pensando muito e analisando cada situação, o medo nos paralisa. Então, para mim, o melhor da vida é ir atrás, correr riscos e pular de olhos fechados. Viver sem medo nos faz mais completos e felizes. Quem sabe em 2017 você possa tentar também?

Sempre fui uma pessoa destemida, durante a minha adolescência e quase toda a minha vida. Me arrisquei muito e achava que me jogar de corpo e alma em meus projetos profissionais era uma busca absoluta que me possibilitaria viver sensações distintas daquilo que considerava normal. Eu sempre quis o diferente, o inusitado, o novo.

Hoje, penso que essa atitude não é totalmente positiva, sem um real planejamento. Todo risco deve ser conhecido e, assim, conseguimos resultados mais positivos. Mas planejar tudo também pode nos impedir de nos atirarmos ao desconhecido. E perder oportunidades.

Em uma cultura organizacional, na qual sempre me comportei de uma forma extremamente profissional, criei formas pragmáticas para controlar minhas emoções, em busca de decisões mais assertivas.

Como já relatei anteriormente, o planejamento de qualquer negócio ou processo é, para mim, fundamental para o sucesso. Devemos sempre buscar o resultado final que desejamos e não nos deixar levar apenas pelos instintos.

O ser racional deve estar em equilíbrio com nossas emoções para que, quando nosso projeto de vida estiver 100% pensado e calculado, falte apenas a segurança para abrir os braços, fechar os olhos e pular para viver sem medo.

12 Comentários

  1. Sérgio Valério Gonçalves disse:

    Tarsia,
    Interessante seu texto de hoje, acredito nisto no se jogar, se cairmos temos que ter orgulho das nossas cicatrizes elas nos mostra a nossa capacidade de superação e com os tropeços apredemos a sair do chão. Obrigado.

  2. Antonio Carlos Barrios disse:

    Caríssimo, atuei no ramo transportes equiparando-me no seu raciocínio. De fato uma dose ousada do empreendedor repercute em novos desafios a serem superados, porém quando a ousadia supera a capacidade de resiliência profissional, o resultado catastrófico do Empreendimento acaba sendo um amargo aprendizado. Optei ser mais comedido nas decisões e sempre recorria ao patriarcado em sopesar o rumo direcionado.

  3. Ciane disse:

    Texto ótimo👏🍀🌷

  4. Paulo Gil disse:

    Tarsia, bom dia.

    Pular de olhos fechados até que é fácil, principalmente quando não temos sob nossas costas as responsabilidades financeiras, seja ela qual for.

    Mas o difícil e imprescindível saber o que é:

    – Cultura organizacional;

    – Forças ocultas;

    – Cultura dos “Sistemas”

    No período que os bebês ficam nas maternidades, as psicólogas deveriam ensinar estas questões para eles, assim todos sairiam aptos a dar os “Pulos da vida”.

    Mas sempre tendo na manga da camisa, o “Pulo do Macaco”.

    Caso contrário os pulos além de machucarem, faz com que os resultados não ocorram ou sejam tardios.

    Espero ensinar isto ao meu filho, não que seja receita de sucesso.

    Mas ajudará bastante, pois nesta vida o principal é ter saldo bancário POSITIVO.

    Afinal, estudar para que ?

    Para se aposentar com menos de R$ 5.578 e uns quebradinhos (previsão 2017) ?????

    Isso se tudo der certo…

    Ainda bem que os jovens de hoje são mais pragmáticos e mais inteligentes, já pensam em qualidade de vida e não em
    ser gerente ou supervisor, li isto numa revista.

    Muda Brasil.

    Att,

    Paulo Gil

    • Ricardo Vasconcelos Lelis disse:

      Boa tarde Paulo,

      enriquecedor seu comentário. Parabéns!

      Gostaria de expressar um ponto pessoal sobre um um dos quesitos do seu comentário.

      Eu sempre tive oportunidade do estudo. Meus pais sempre incentivaram e cobraram isso. Nunca fui cobrado para ser o aluno nota 10, mesmo porque isso não garante sucesso e apenas mostra esforço.
      Quando me graduei, o 1º colocado no vestibular, que foi bastante concorrido, custou formar e tomava pau na maioria das matérias em todos os semestres.

      Eu enxergo o estudo como uma enorme oportunidade, principalmente na vida de pessoas que possuem poucas oportunidades. Sempre levarei comigo que “CONHECIMENTO NÃO OCUPA ESPAÇO”. É algo abstrato que você pode usar ou não, mas sempre tem algo que te cobrará algo que você aprendeu, mesmo que você não esteja trabalhando na sua área. Quer um exemplo? Me formei em Administração de Empresas mas não trabalho diretamente na área, mas as coisas que aprendi na graduação hoje me ajudam a controlar as contas de casa, fazer investimentos etc.

      Grande abraço!

      Ricardo Vasconcelos Lelis

      • Paul Gil disse:

        Ricardo Lelis, bom dia.

        Agradeço o seu elogio e comentário.

        Não sou contra o estudo, mas vou te explicar o meu ponto de vista após mais 37 anos de atividade profissional e ainda continuarei trabalhando
        por questões financeiras, porém contra minha vontade, afinal sou defensor da seguinte teoria:

        “FEZ 40 APOSENTA”

        Mas é para aposentar e não para ficar “inerte”.

        Quem quiser pescar vai pescar, quem quiser dormir vai dormir e quem quiser realizar o seu sonho pessoal vai realizar.

        Com isso a economia teria muito mais giro de dinheiro e os mais jovens terão a tão sonhada oportunidade, a qual hoje está difícil,
        pois os “Pós 40” não podem sair do mercado, pois o INSS não os suprirá nem depois dos 80 anos, kkkkkkkkkk.

        Ok, sei que podemos pular no precipício, mas o “seguro morreu de velho”.

        Infelizmente as “Mentes Jurássicas” do país ainda pensam como na idade da pedra, mas isso só o tempo corrigirá.

        Continuando a questão principal que você comentou.

        Eu nunca gostei de estudar (me da sono ficar parado lendo), sempre gostei do “buzão”, mas me fizeram estudar.

        Sei que fizeram o melhor por mim, mas por eu só ficar conhecendo e compreender muito tardiamente questões como – Cultura organizacional,
        Forças Ocultas e Cultura dos “Sistemas”; hoje vejo e penso que devia ter corrido atrás do “meu sonho” – o buzão

        Buzão é como é chamado o ônibus, aqui em São Paulo, pela população e pelos busólogos (apaixonados por ônibus) .

        OBS.: “Sistema”:

        Faço uso da expressão “Sistema”, para representar todo meio onde o ser humano está inserido; seja como cidadão, funcionário, empresário, social, comunidade, religião, política, casamento e em tudo que há mais de uma pessoa.

        Dirigir um buzão rodoviário na madrugada pelas estradas desse Brazilzão (igual a D. Neuza gosta e faz).

        A diferença é que ela realizou o sonho dela , seja por necessidade ou por ter ido atras dele.

        Outro dia li uma frase muito legal.

        ” O SEU SONHO ESTÁ EM QUALQUER PADARIA”

        Apesar desta não ser, eu adoro frase de parachoque de caminhão, mas infelizmente os mais novos não usam mais, só rebaixam os brutos, que é
        legal também, mas é outro estilo.

        Por ser uma pessoal prática e pragmática, sempre questionei o modelo de ensino e hoje estão modernizando o ensino médio e os estudantes não querem, eu particularmente
        adorei a nova proposta, claro que precisa de ser mais discutida com a sociedade.

        Mas mesmo assim, hoje um jovem apto a cursar uma Universidade, ainda não tem a menor noção de qual curso quer fazer ou carreira profissional quer seguir,
        isso prova que nada mudou desde os meus tempos de jovem (apesar de me considerar um jovem, kkkkkkkkkkkkk),mesmo com todas as novas tecnologias disponíveis.

        Não me conformo como ainda têm pais que querem que seus filhos estudem nas melhores Universidades do país; de que adianta isso se o jovem nem sabe o que quer,
        ser e se quer; sem contar que os pais querem que todos os filhos sejam bem sucedidos.

        Ser bem sucedido não depende de estudo depende de “relacionamento pessoal ” e ter conhecimento e compreensão de Cultura organizacional,
        Forças Ocultas e Cultura dos “Sistemas”, caso contrário você pode ser “Pós Doc” na melhor Universidade do mundo, mas sem saber “driblar” tudo isso,
        dificilmente será bem sucedido, e no máximo vai se aposentar no “teto” do INSS o qual será corroído pela inflação e pelos remédios, plano de saúde nem pensar.

        Então, o que é ser bem sucedido ??

        Fica ai esta questão para reflexão.

        Desculpe se me alonguei, mas me empolguei pois gosto deste tema.

        Att,

        Paulo Gil

      • Paulo Gil disse:

        Ricardo Lelis, bom dia.

        Agradeço o seu elogio e comentário.

        Não sou contra o estudo, mas vou te explicar o meu ponto de vista após mais 37 anos de atividade profissional e ainda continuarei trabalhando
        por questões financeiras, porém contra minha vontade, afinal sou defensor da seguinte teoria:

        “FEZ 40 APOSENTA”

        Mas é para aposentar e não para ficar “inerte”.

        Quem quiser pescar vai pescar, quem quiser dormir vai dormir e quem quiser realizar o seu sonho pessoal vai realizar.

        Com isso a economia teria muito mais giro de dinheiro e os mais jovens terão a tão sonhada oportunidade, a qual hoje está difícil,
        pois os “Pós 40” não podem sair do mercado, pois o INSS não os suprirá nem depois dos 80 anos, kkkkkkkkkk.

        Ok, sei que podemos pular no precipício, mas o “seguro morreu de velho”.

        Infelizmente as “Mentes Jurássicas” do país ainda pensam como na idade da pedra, mas isso só o tempo corrigirá.

        Continuando a questão principal que você comentou.

        Eu nunca gostei de estudar (me da sono ficar parado lendo), sempre gostei do “buzão”, mas me fizeram estudar.

        Sei que fizeram o melhor por mim, mas por eu só ficar conhecendo e compreender muito tardiamente questões como – Cultura organizacional,
        Forças Ocultas e Cultura dos “Sistemas”; hoje vejo e penso que devia ter corrido atrás do “meu sonho” – o buzão

        Buzão é como é chamado o ônibus, aqui em São Paulo, pela população e pelos busólogos (apaixonados por ônibus) .

        OBS.: “Sistema”:

        Faço uso da expressão “Sistema”, para representar todo meio onde o ser humano está inserido; seja como cidadão, funcionário, empresário, social, comunidade, religião, política, casamento e em tudo que há mais de uma pessoa.

        Dirigir um buzão rodoviário na madrugada pelas estradas desse Brazilzão (igual a D. Neuza gosta e faz).

        A diferença é que ela realizou o sonho dela , seja por necessidade ou por ter ido atras dele.

        Outro dia li uma frase muito legal.

        ” O SEU SONHO ESTÁ EM QUALQUER PADARIA”

        Apesar desta não ser, eu adoro frase de parachoque de caminhão, mas infelizmente os mais novos não usam mais, só rebaixam os brutos, que é
        legal também, mas é outro estilo.

        Por ser uma pessoal prática e pragmática, sempre questionei o modelo de ensino e hoje estão modernizando o ensino médio e os estudantes não querem, eu particularmente
        adorei a nova proposta, claro que precisa de ser mais discutida com a sociedade.

        Mas mesmo assim, hoje um jovem apto a cursar uma Universidade, ainda não tem a menor noção de qual curso quer fazer ou carreira profissional quer seguir,
        isso prova que nada mudou desde os meus tempos de jovem (apesar de me considerar um jovem, kkkkkkkkkkkkk),mesmo com todas as novas tecnologias disponíveis.

        Não me conformo como ainda têm pais que querem que seus filhos estudem nas melhores Universidades do país; de que adianta isso se o jovem nem sabe o que quer,
        ser e se quer; sem contar que os pais querem que todos os filhos sejam bem sucedidos.

        Ser bem sucedido não depende de estudo depende de “relacionamento pessoal ” e ter conhecimento e compreensão de Cultura organizacional,
        Forças Ocultas e Cultura dos “Sistemas”, caso contrário você pode ser “Pós Doc” na melhor Universidade do mundo, mas sem saber “driblar” tudo isso,
        dificilmente será bem sucedido, e no máximo vai se aposentar no “teto” do INSS o qual será corroído pela inflação e pelos remédios, plano de saúde nem pensar.

        Então, o que é ser bem sucedido ??

        Fica ai esta questão para reflexão.

        Desculpe se me alonguei, mas me empolguei pois gosto deste tema.

        Att,

        Paulo Gil

  5. Ricardo Vasconcelos Lelis disse:

    Boa tarde Társia,

    após ler seu texto eu fiquei em dúvida. Será que sou uma pessoa cautelosa ou medrosa? rsrsrsr

    Em um mundo de incertezas como o atual, eu acho complicado pular de cara, sem medo e com coragem, mas ao mesmo tempo acho essencial, afinal as coisas só melhoram a partir do momento em que todos buscam melhorias. Existe uma forte sinergia nisso.

    Grande Abraço

    Ricardo Vasconcelos Lelis

  6. Elis Colares disse:

    Maravilhoso… Adorei cada palavra exposta nessa matéria. Fantástico.. Bom para pensar e refletir.

  7. Quanta inspiração….os comentarios parecem mais artigos científicos! Se jogar de cabeça é um risco nao calculado a questao principal parece ser “nao ter medo”. Parabéns pelo sucesso.

  8. Izzy Dias disse:

    Ameii o site, meus parabens!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *