empresa
A empresa familiar e o desafio de estreitar diferenças
24 de novembro de 2016
igualdade de gênero
Igualdade de gênero: uma opção rentável para as empresas
26 de novembro de 2016

Uma geração carente de valores

geração y

Algo que sempre vem à tona em conversas sobre gestão: como conviver com a geração Y, essa leva de jovens inquietos, insatisfeitos, impacientes, que não estão muito propensos a suar a camisa e que podem pular fora ao menor sinal de que terão suas vontades contrariadas. Para saber como lidar com essa geração, é preciso ir a fundo e entender de onde vem tanta intolerância e indisciplina.

Entramos em restaurantes e shopping centers e vemos crianças com celulares e tablets nas mãos por todos os lados. Vivemos a primeira geração que convive com a tecnologia de forma massiva desde que nasceram, de videogames a aplicativos e redes sociais. Essa juventude foi afastada do convívio humano, desconectada de valores familiares e impossibilitada de buscar suas próprias soluções para os dilemas da vida, pois tiveram pais ávidos por satisfazerem suas vontades.

Olhando pelo lado do gestor, ser inquieto e insatisfeito pode ser incrivelmente benéfico, se essas características se encontram direcionadas e focadas na busca de alternativas e saídas para dilemas do dia a dia organizacional. Porém, estar à mercê de jovens inseguros e propensos a mudar de time por terem uma dificuldade imensa de “vestir a camisa” é o caos.

Daí podemos elaborar dois passos para conquistar definitivamente alguém da geração Y:

Primeiro, contratar da forma correta. E como? Buscando jovens que, apesar de terem toda a inquietude e até uma certa rebeldia, sejam preenchidos de valores familiares e sonhos. Dê a alguém um sonho, e ele buscará como realizá-lo, um jovem com um sonho tem pelo que batalhar, trabalhar, crescer. Esses jovens existem e estão por aí, mas precisamos de tempo e atenção para encontrá-los e acolhê-los.

Segundo, reter os talentos encontrados, observando aspirações, características pessoais e profissionais, e colocando esses jovens no lugar certo, no cargo e com as incumbências que os farão desabrochar. Quantos talentos são perdidos simplesmente por não terem todo seu potencial utilizado, e quantas pessoas acabam sentindo-se diminuídas, incapazes, quando o que lhes falta é uma liderança certeira.

Quer que o jovem da geração Y vista a camisa da sua companhia? Dê-lhe o tempo, a acolhida, os desafios que ele ainda não teve. Resgate seus valores. Todo jovem, na verdade, quer ter um projeto e ser reconhecido. E podem ser grandes líderes – basta direcionarmos a sua energia e sua pro atividade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *