Reflexões FEBRABAN 2017
7 de abril de 2017
Conflitos e solução, o papel do gestor nos dias de hoje
11 de abril de 2017

Reflexões FEBRABAN 2017

Como escapar das armadilhas do estresse gerado pela ânsia de produtividade

Produzir mais é a palavra de ordem das empresas. Muitas levam tão a sério, que esquecem que estão lidando com material humano e não medem as consequências de suas exigências. Por outro lado, colaboradores amedrontados pelos tempos de crise, se cobram também para não correrem o risco de serem substituídos. Até onde essa equação pode nos levar?

Participei recentemente de evento da Febraban – Federação Brasileira de Bancos, que entre outros tratou também deste assunto. Você sabia que a maior parte dos afastamentos – e que são muitos – de colaboradores nas instituições bancárias acontece por estresse? São as metas que roubaram o lugar do atendimento humanizado e que está fazendo mal para as pessoas.

A questão é que, na equação que citei acima, ninguém sai ganhando. As empresas podem até produzir mais, mas vão passar por crises internas causadas por um alto turnover e pela própria insatisfação de seus times – pessoas felizes produzem mais, acredite!

Então, como escapar das armadilhas do estresse gerado pela ânsia de produtividade? Buscando algo simples, mas que nos custa muito empenho: o equilíbrio quando temos a Felicidade Interna Bruta! Colocar na balança metas, objetivos e, do outro lado, as necessidades das pessoas e as soluções.

Pesar sempre o que está sendo feito, o que se quer alcançar, mas principalmente, como as pessoas estão sendo tratadas nessa realidade, é imprescindível. De nada adianta uma empresa que muito produz, mas que não cresce por falta exatamente de engajamento, satisfação pessoal, times fortes. É hora de trabalhar o estresse nas companhias e substituí-lo por soluções práticas que tratem os problemas existentes sem causar novos.

Foto: Cibele Barreto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *