Mas afinal, o que é o amor?
25 de Fevereiro de 2017
Não deixe o medo te paralisar
3 de Março de 2017

Passou o carnaval! E agora, o Brasil decola?

Tanta expectativa para esses dias de folia! E o espetáculo incrível e aclamado pelo mundo todo acabou. Agora é hora de retomar as rédeas para fazer um ano bom. Será que estamos preparados?

Por anos, sempre escutei dizer que, no Brasil, o ano só começa depois do carnaval.

Mesmo em um momento de crise, como o que passamos nos últimos 2 anos, percebemos que a cultura brasileira do carnaval ainda permanece forte. Outro dia, escutei dentro da empresa, em uma reunião de estratégia: “precisamos tomar algumas decisões, o resultado continua negativo e não temos grandes perspectivas de melhora. Mas vamos deixar o carnaval passar e resolvemos depois”. Fico enlouquecida com esse tipo de pensamento, que nunca vou conseguir entender.

Da forma como estou falando, é possível que pensem: “ela é muito chata, já temos tantos problemas e lá vem ela interferir no nosso carnaval”. Acredito que algumas pessoas que trabalham comigo possam ter tido esse tipo de pensamento. Mas essas mesmas pessoas me conhecem e sabem que minha palavra de ordem, na vida pessoal e profissional, é equilíbrio.

Logo no início do ano, já escutávamos os noticiários falando sobre o tanto de feriados que virão em 2017, nem sei ao certo quantos são. Então, falta emprego, falta saúde, faltam projetos fortes para nosso governo e o brasileiro segue preocupado com o seu feriado, contando os dias para não precisar trabalhar, esperando a folia para fingir que nada acontece e só depois da quarta feira de cinza, após passada a ressaca da ilusão, e muitos depois de emendarem mais uma quinta e uma sexta, voltar a pensar em crescimento. A grande maioria, ainda volta a trabalhar na segunda-feira de mal humor, meio perdido e, normalmente, com uma sensação de revolta pela ilusão ter acabado e a dura realidade voltar à ativa.

Quero deixar claro aqui que considero o carnaval brasileiro, em especial o do Rio de Janeiro, um dos maiores espetáculos da terra. Lindíssimo, criativo, fruto de muito trabalho duro, de sonhos, expectativas, gestão estratégica e tudo o mais. O carnaval é lindo! O problema não é o carnaval, mas, sim, a insatisfação com a própria realidade e a falta de equilíbrio no dia a dia.

As pessoas estão interrompendo o ciclo criativo. Não estamos preocupados com a transformação e com o fato de que ela precisa acontecer de dentro para fora. 2017 será um ano diferente e determinante, no qual construiremos as bases do que está por vir. É preciso encontrar o equilíbrio entre a leveza e a responsabilidade. Ser mais felizes no dia a dia para não colocar toda a ânsia de liberdade em uma semana de carnaval.

2 Comentários

  1. Ricardo Vasconcelos Lelis disse:

    Boa noite Társia,

    eu sou muito crítico quanto a feriados prolongados ou não… não vejo nexo em comemorar o dia do Trabalho atoa em casa! Mas ok! Vamos lá!

    Não sei se é um mal do brasileiro esperar por feriados ou que o ano comece após o carnaval. Se analisarmos bem as “desculpas” vêem sendo dadas desde antes da Copa do Mundo de 2014, consequentemente Jogos Olímpicos e entre esses eventos houve 2 carnavais e inúmeros feriados.

    As pessoas adoram contar papo que “lá no Japão a carga horária é tal” “na Europa é tal…”. Deveriam se preocupar mais com o que poderia ser feito aqui no nosso país e não buscar exemplos, que na verdade se aplicados aqui no Brasil talvez não tenham o mesmo efeito.

    Devemos buscar eficiência na quantidade de tempo trabalhada. Não adianta trabalhar muito com qualidade zero ou trabalhar pouco com quantidade máxima. Deve haver um “equilíbrio” como você mesma diz.

    O meu ano começou dia 1 de Janeiro, afinal as minhas preocupações não pulam carnaval ou tiram folgas.

    #pau na máquina e bora produzir.

    Att.

    Ricardo Vasconcelos Lelis

  2. Paulo Gil disse:

    Tarsia, boa noite.

    Li uma vez num parachoque de caminhão, uma frase que sempre uso no meu dia a dia e recomendo a você também.

    “NEM SÓ DE FRETE VIVE O HOMEM”

    Eu acho essa frase/teoria, sensacional.

    O problema do Brasil, não é o Carnaval, nem os feriados; nosso problema (como já coloquei em outro comentário) são as “MENTES JURÁSSICAS” associado a inexistência da “FAZEDORIA”,e potencializado pela “BURROCRACIA” e pela “LEI DE GERSON”.

    Enquanto isso não mudar nada decola nem o Brasil.

    O mais triste de tudo isso é que “não tem bobinho nem burro” nem Brasília e nem outro estado ou município do Brasil .

    Sinceramente, sempre fico me perguntado o porque do caos e por que nada muda, sinceramente eu desconheço o motivo de tanta tacanhez.

    A ideia mais lógica que me vem a cabeça é de que algum país potencia, não permite o Brasil evoluir, para não fazer sombra pra ninguém.

    Não devemos nada a ninguém, nossa automação bancária se não a melhor é uma das, as fábrica da Ford e Mercedes do ABC, são modelos para os gringos,
    sem contar a “criatividade” e o “jeitinho brasileiro”, somado a nossa potência natural a nós concedida por DEUS.

    Mas fique tranquila, não é o Carnaval e nem os feriados que “impaca” o Brasil.

    Mas já aprendi, só o tempo mudará isso.

    Sem contar a tabela do imposto de renda sem correção, quer mais exploração do trabalhador do que isto ???

    Realmente, precisamos de um LÍDER, mas de um que goste de trabalharem fazer as coisas funcionarem, porque no momento estamos sem nenhum.

    Eu tenho uma sugestão.

    Ao invés de eleição, o Brasil precisa é de UM PROCESSO SELETIVO.

    Afinal, pintor não pode fazer trabalho de neurocirurgião e vice versa.

    Mas lembre-se; “NEM SÓ DE FRETE VIVE O HOMEM”

    Feliz 2017, mas calma, ele começa na segunda, 06.02.17, pois os demais dias é para curar a ressaca e engatar uma primeira reduzida para aguentar todo de novo.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *