relações profissionais sólidas
Como construir relações profissionais sólidas em um mundo carente
2 de dezembro de 2016
Diversidade é interação, e não somente inclusão
6 de dezembro de 2016

A pílula da convivência saudável se chama empatia. Há quem seja empático por natureza, mas normalmente, para a grande maioria, é uma habilidade que precisamos desenvolver, treinando nossa intuição.

Empatia: Ao tentarmos nos colocar no lugar do outro, expandimos nossa compreensão das coisas e conseguimos, de certa forma, prever o que acontecerá no futuro.

No entanto, para praticarmos a empatia, precisamos primeiro aceitar e conviver amistosamente com a diversidade e a pluralidade de ideias. Devemos tentar entender por que o outro age daquela forma, que sentimentos e perspectivas o levam a ter tais atitudes. Ao pensar sob a ótica do outro – que pode ser um colega de trabalho, um filho, um companheiro, uma mãe – colaboramos para uma convivência mais harmônica nos ambientes aos quais nos integramos.  

Esta convivência harmônica, que, sem sombra de dúvida, é mais saudável, é o remédio para o individualismo herdado do século passado. A empatia é a ferramenta para encontrarmos soluções para problemas do nosso dia a dia e até questões mais profundas, como violência, fome, violações a direitos humanos e assim por diante. A empatia é uma forma intuitiva de comunicação, pois, ao compreendermos o outro e os motivos de suas ações, podemos nos comunicar melhor com ele e achar um consenso em situações de conflito. Isto não acontecerá se continuarmos julgando situações e pessoas com base só na nossa própria história e nas nossas ideias.

Tolerância

empatiaEsta habilidade de reconhecer o outro como um ser diferente de nós nos torna mais tolerantes. A tolerância, por sua vez, vai nos permitir ter uma conversa sem agressões e sem agressividade nas palavras, transmitindo a mensagem que de fato queremos, já que o outro nos ouvirá com mais atenção, pois se sente compreendido.

No mundo corporativo, a empatia é um fator-chave para o desenvolvimento de grandes líderes, aqueles que conseguem unir a equipe em torno de um objetivo comum, em um ambiente colaborativo. O líder na essência entende as demandas individuais e as trata de forma abrangente, visando ao bem-estar do grupo. Como o exemplo que cultiva vem de cima na escala hierárquica, a atitude empática deste líder influencia seus subordinados, que passam a ser mais empáticos também e a formar uma equipe coesa, gerando melhores resultados.

Enfim, empatia não é uma ciência exata, mas tem alguns princípios infalíveis:

  • Saiba ouvir e analisar a linguagem corporal do seu interlocutor.
  • Respeite. Trate os outros como gostaria de ser tratado.
  • A empatia pode e deve ser aprendida e precisa ser diariamente cultivada.

6 Comentários

  1. Geraldo Afonso Porto Pedrosa disse:

    A paciência deve caminhar junto com a tolerância na construção ou desenvolvimento da empatia no ser e entre os seres.

  2. Guilherme Silveira disse:

    Tratar os outros como gostaria de ser tratado, fundamental para cativar boas amizades e se relacionar no seu meio profissional. Parabéns pela publicação.

  3. Elis Colares disse:

    Texto inspirador. Gostei muito. 👊🏻

  4. Antonio djair puzzi disse:

    Tá, parabéns!
    Está ótimo!
    Assuntos interessantes, comentados com sutileza e praticidade.
    Que Deus ilumine sua caminhada é muito sucesso,

  5. Cristiano Rezende disse:

    Olhar com os olhos de outros é próprio seu…perceber o todo é apenas uma das duas diversas habilidades.
    TOP!!! TOP!!! TOP!!!

    • Para quem me conhece como você, só posso dizer muito obrigada !!!
      Existem comportamentos inerentes a cada um de nós e realmente perceber o todo, em cada detalhe é uma característica muito forte em mim.
      Conto com suas sugestões para outros temas.
      Forte abraço.
      Tarsia Gonzalez

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *