Reflexões FEBRABAN 2017
10 de abril de 2017
Cheguei em uma empresa em crise, e agora?
13 de abril de 2017

Conflitos e solução, o papel do gestor nos dias de hoje

Entre a necessidade de aumento de produtividade e o engajamento de times diversos, em que pé fica o papel do gestor nos dias atuais? Ouvidos bem abertos e uma atenção redobrada na questão humana podem ser a solução para melhores resultados.

 

A maior virtude de um gestor é saber ouvir. Um chefe que caminha de ouvidos fechados para as necessidades de seus subordinados, do mercado e da empresa como um todo acaba com uma bomba relógio na mão, prestes a explodir a qualquer momento. Em tempos de produtividade máxima, conflitos são uma constante. E um gestor precisa saber como lidar com eles.

Eu já participei de equipes as mais variadas, e fui gestora de times durante muito tempo. E posso dizer por experiência própria: não dá para ser um bom líder sem escutar as pessoas. Sem entender as suas necessidades, suas diferenças, a origem dos conflitos. Como é possível encontrar uma solução sem entender exatamente qual é o problema e de onde ele vem?

Gerenciar parte do princípio de saber lidar com o que existe de melhor e de pior nas pessoas. E, acredite, todos temos os dois lados. Um bom líder sabe extrair o que existe de positivo das pessoas. Engaja pela sensibilidade e pela relação de confiança que cria.

Eu pergunto: por que alguém vai entregar seu tempo, a maior parte de sua a vida a um líder, ou a uma empresa em que não acredita? Confiança é a palavra chave para que um gestor possa gerenciar conflitos. E confiança vem de sentir-se ouvido, valorizado, fazendo parte de um todo.

Nós vivemos uma época de incertezas. Essa já é uma premissa. E passamos por grandes transformações, que só levarão a tempos melhores se aprendermos a gerar confiança, mesmo em meio ao caos das empresas de hoje, que tem nas mãos um grande potencial, mas um receio imenso dos tempos que virão.

Foto: Pixabay

Os comentários estão encerrados.